sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Tudo começa pelo planejamento

Pode até parecer papo de administrador de empresas, mas um planejamento detalhado é essencial para que a construção de uma guitarra seja um projeto bem sucedido. A falta de planejamento pode influenciar de forma irreversível a construção do instrumento, afetando seu timbre e “tocabilidade”. Futuras alterações podem ser difíceis ou até mesmo impossíveis de serem feitas após iniciados os trabalhos. Isso sem contar os custos envolvidos.

Os sites que tenho pesquisado sobre o assunto são unânimes em recomendar que se dedique um bom tempo ao planejamento antes de ligar qualquer serra elétrica. A seguinte máxima é citada várias vezes - measure twice, cut once (algo como - meça duas vezes e corte uma única vez). Portanto, é melhor segurar a ansiedade antes de sair cortando madeira.

São inúmeras decisões a serem tomadas. As definições mais óbvias estão relacionadas ao desenho da guitarra, aos tipos de madeiras usadas em cada parte, quantidade e tipo de captadores, modelo de ponte (fixa ou com alavanca), etc. Outras decisões não tão aparentes, mas que têm grande influência no timbre do instrumento e na forma de tocar são: o tamanho da escala, o tipo de junção do braço ao corpo, a forma de construção da mão (headstock), o tipo de traste, e várias outras. Essas decisões são influenciadas pelo tipo de sonoridade que se procura para o instrumento.

No momento, eu estou na fase de buscar mais conhecimento sobre o processo de construção e terminando o planejamento. Algumas coisas já estão definidas.

O modelo que eu escolhi chama-se Highline Special, e foi desenhado pelo luthier Chris Monck do site eguitarplans (veja o endereço do site em links à direita da página). Eu baixei o projeto completo dessa guitarra em dezembro de 2010, oportunidade em que foi oferecido gratuitamente no site. É um desenho clássico claramente inspirado na Fender Stratocaster. Apesar de eu não ser o maior fã das Stratocaster, escolhi esse modelo por várias razões:

* simplicidade - como não tenho experiência, optei por um modelo que fosse de construção mais simples. As Stratocasters são provavelmente o modelo mais simples de guitarra. As Les Paul, por exemplo, têm o corpo esculpido arch top (a parte superior não é plana, e sim arqueada), o que é muito mais trabalhoso e exige maior habilidade do luthier. Outra característica que traz simplicidade à Highline Special é que seu corpo é feito de uma única peça de madeira e não exige a colagem de tops(1).

* beleza - a guitarra tem o corpo mais “gordinho” do que uma Stratocaster e ficou muito equilibrado e bonito na minha opinião. Gostei também do desenho da mão da guitarra e do escudo.

* exclusividade - é uma guitarra exclusiva, no sentido de não ser um modelo produzido às centenas por uma fábrica. Trata-se de um modelo inspirado em linhas clássicas, porém que não será encontrado em qualquer esquina.




A guitarra não deve ficar muito parecida com a da foto. Minha intenção inicial é fazer o acabamento em pintura, ao invés de deixar na cor natural da madeira. Isso porque, como se trata de uma primeira tentativa, devo comprar uma madeira mais barata e que possivelmente não apresentará um padrão tão bonito quanto o que foi usado. Além disso, vou usar uma ponte fixa, ao invés de uma com alavanca. Os captadores serão dois do tipo humbucker.

Minha idéia é que a guitarra tenha um timbre encorpado, que privilegie os médios e graves e de preferência com bastante sustain. Quero que ela tenha um timbre vintage e não tão cristalino quanto o das Stratocasters.



1) o corpo de alguns modelos de guitarras é feito por uma base sobre a qual é colado um outro tipo de madeira na parte superior (top). Geralmente os tops são madeiras nobres que apresentam padrões e desenhos naturais e são usados mais para fins de decorativos. Como se tratam de peças caras, não são utilizados para fazer todo o corpo.


4 comentários:

  1. Ei! Estou adorando acompanhar e entender um pouco mais dos seus planos. Tenho certeza de que vc vai ser bem sucedido, pq no início de qualquer empreitada, o importante é o planejamento e vc está fazendo isso bem direitinho.

    Gostei muito do texto e de ficar mais por dentro de como funciona todo esse trabalho.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela visita, minha linda!

    Depois me diga o que você achou do modelo que eu escolhi.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Encontrei o blog hoje e estou lendo desde o início.
    Já estou gostando pois estou com os mesmos planos. A Diferença é que comprei um corpo de telecaster já cortado, mas sem qualquer acabamento. Moro em apartamento e isso está me dificultando até pra lixar o corpo. Mas vamos em frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leandro, obrigado pela visita. É uma boa ideia começar como você está fazendo. Dá para adquirir as ferramentas aos poucos. Trabalhar em apartamento é complicado mesmo, mas é possível sim. É só negociar com a mãe/namorada/esposa. kkkk
      Se precisar de ajuda, entre em contato: fabianoccc@gmail.com. Abraços, Fabiano

      Excluir